Quero falar de coisas boas…

…mas me pergunto: por que a gente se sente mais “inspirada” pra escrever quando algo está doendo, lá dentro? É como se fosse uma maneira de exorcizar a tristeza, ou de repartir a dor.
O problema é que nem sempre (ou nunca, embora algumas pessoas digam que fazem isso) se consegue arrumar o coração em “pastas”, com arquivos organizados, como fazemos no computador. Por assunto, por data, por formato… e depois de arrumados, fazer “back ups” (cópias de segurança) daqueles que não podem ser perdidos de jeito nenhum, e deletar os que já não são úteis, estão defasados e não interessam mais.

O coração parece ter um bloqueio contra o comando “delete”. Nem vou perguntar por que. Sei que não vou ter a resposta, mesmo… E como esse órgão maravilhoso consegue tecer uma rede entre todos os arquivos, misturando a vida da mãe com a da amiga, com a da mulher, da profissional, da patroa, da empregada, da vizinha!… afinal de contas, pra ele, “todas” são “uma” e indissociáveis.

E há ainda uma outra “lei” para o raciocínio do coração: A alegria demora mais de chegar, e vai embora mais rápido. É que ela é muito mais forte que a tristeza, muito mais intensa. Brilha mais, vale mais… e “gasta-se” mais rápido. Vem num estalo… mas não tem força pra fincar o pé no coração. Quando a gente está feliz, o tempo passa voando, ninguém acha que um fim-de-semana na praia dura realmente as 48 horas. Ao passo em que uma noite no hospital parece uma eternidade.

A tristeza e sua irmã, a melancolia, são mais discretas, chegam de mansinho e vão se instalando. Puxam uma cadeira daquelas “espreguiçadeiras”, e lá ficam… Já repararam como é difícil levantar de uma “preguiçosa”? E quanto maior (e mais confortável) for a cadeira, mais difícil é sair dela. Na casa dos meus pais tinha uma, beeeem grande, e às vezes eu caía na besteira de sentar nela com um dos meus filhos no colo, pra colocar pra dormir. Aí é que era dureza: levantar carregando alguém. Essa é a figura da tristeza: ela senta na “preguiçosa” com você no colo, como um bebê que dormiu. Difícil levantar!

Hoje caí sentada numa cadeira dessas, no colo da tristeza. Preciso que alguém me acorde, quem se habilita?

Anúncios

  1. Menina Menina!!! qdo a tristeza toma conta, nao tem muita coisa pra se falar nao. A unica coisa que, talvez agora nao faca sentido, mas eh a esperanca, eh que num futuro proximo as coisas serao outras e tudo isso que eh passado vai ser visto de uma maneira diferente, mais light. Segura as pontas, deixa o coracao aliviar um pouco e depois levanta dessa espreguicadeira. Continua postando que faz bem mas faz forca pra ve outros lados. Bjo!!

  2. A tristeza tb é uma boa companheira, nos permite avaliar as coisas de deveríamos ter dado importância e por causa do corre-corre deixamos prá trás. Qdo a tristeza vem e bate e fica sentada como vc escreveu contigo no colo é perigoso, pois o ser humano e no caso a mulher em si se deixa levar e a se fragilizar dando permissâo q com essa tristeza venha a depreessâo. O que eu ainda acho muito pior q a tristeza.Por isso querida, nada melhor que terminar essa sua tristeza lembrando das promessas:” O choro pode durar uma noite(quantos dias essa noite significa o Salmista nâo a escreveu) mas a ALEGRIA, o TRIUNFO, a ESPERANCA chega com a manhâ.”Um grande beijo no seu coracâo.Georgia Aegerter

  3. “A tristeza é, em muitos momentos, uma pausapara rever a si próprio. Cabe a cada um reconhecer a oportunidade.Muitas vezes, uma terra adubada é aquela escurecida,mas também é a mais rica. Às vezes a vida nos tira tudo,para erguermos ainda mais fortes.Será que cada um é capaz de reconhecer?” “Levanta… sacode a poeira… e dá a volta…” por onde quiser!!!Eu gosto de tristeza… Ela é “inspiradora”!!!

  4. Às vezes, esquecemos que a tristeza também faz parte dos nossos sentimentos, bem como a angústia, o medo, a melancolia, a saudade…afinal como reconheceríamos a alegria, a coragem, a euforia, o regresso…?Na verdade, precisamos curtir também as nossas dores, com a mesma totalidade que curtimos nossas felicidades…isso é ser HUMANO…Jesus fez questão de se chamar “O Filho do Homem”…por que será?!…As nossas pequenas infelicidades nos fazem parar para meditar e (sempre) nos empurram para mais uma “conversa de pé-de-orelha” com o Senhor…Fique bem…Jesus adora consolar o nosso coração!Bjo gde.

  5. Pessoas, obrigada. Não só por terem gasto seu tempo vindo aqui, e lendo, mas porque com suas palavras deram um empurrãozinho e a “espreguiçadeira” desarmou, sabem como é? Sei que todo mundo já caiu ou viu alguém cair de uma cadeira dessas! Então.. Minha amiga tomou uma queda legal, de bumbum no chão. Claro que, estando no colo dela, eu caí também, mas agora já deu pra levantar.O mal é que tô com o corpo todo doído, como se tivesse tomado uma surra… rsrsrs Mas toda dor… dá e pasa. Até dor do ciático passa, quanto mais essa!Beijo em todos vocês, e mais uma vez, obrigada por tudo!

  6. Belzinha,querida amiga te ofereço meu colo, sabe que pode sempre contar comigo tanto nas horas boas qto nas ruins, Tenha força, VAI PASSAR….Bja em seu coração.Vi

  7. Talvez a resposta esteja nas palavras do Seo Caetano Veloso. É mais uma estupide da estúpida América Católica em que a dor, o sofrimento a auto comiseração é digno, belo e admirável. Sofrer é necessário. Sorrir, sentir-se de bem com a vida é pecado. Essas besteiras.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s