Outra noite de emoção

E de novo eu sem conseguir escrever sobre. Acho que vai ser sempre assim… como um filme que se repete: Um (a) amigo (a) lança um livro de poesias, eu vou ao lançamento, adoro o momento, encontro pessoas que amo e que não via há muito tempo, aproveito demais a noite, leio o livro “bebendo as palavras” quando chego em casa… e não consigo descrever a emoção sentida. Foi assim com o livro de Dinah, e foi assim com o livro de Guka. Ops… Guka era o meu amigo há décadas atrás… o escritor é Samuel Mattos.

Música na rua e outros poemas” é uma delícia de se ler. Poesia “pensada”, sabem? Além de emoção, tem um estilo diferente, ausência de conjunções e verbos de ligação, pouca pontuação e muita essência. Palavras escolhidas e colocadas no lugar exato… Seria suficiente para dar à noite de ontem valor sem tamanho.

Mas além de chegar lá e já ter o livro autografado especialmente pra mim, (e receber de presente, como todos que ali estavam ), tive outra surpresa. Linda e gostosa. Encontrei uma amiga de infância, daquelas que a gente é muuuuuito ligado, de não sair da casa uma da outra. Foi aquela coisa assim, absurdamente improvável, mas aconteceu!

Eu a vi de longe e algo me bateu que “eu conhecia”… e qdo me aproximei, reconheci instintivamente. Ela não me reconheceu hehehe… (acho que estou melhor fisionomista do que imaginava… e devo estar mais diferente tb, né?) Acho que uns 25 anos que não nos víamos. Tive que dizer quem eu era… mas a partir daí, foi uma sucessão de abraços e de demonstrações de felicidade… ah, como foi bom!

Explicando: Ela é casada com um primo desse meu amigo poeta. Eu nem imaginava… Vieram da capital especialmente para o evento. E olha que eu quase não ia.. Passei o dia todo meio mole, ainda resquício da “intempérie intestinal”, depois fiquei sem carro… Mas no último momento apareceu uma carona, e agora fico pensando: Se não tivesse ido, perderia tanta coisa boa daqueles momentos… Que bom que eu fui!!!

Tita e eu. Alegria do reencontro.

Pra dar um gostinho, um dos poemas…

“Bahia

Samuel Mattos

Sambando suando calor e folia
Dançando na vida vivendo só dia
Barrica cuíca timbau atabaque
Na preta só festa só roda magia

Gingado de jeje caxixe cachaça
Mulato malungo malandro sabido
Libido na rua terreiro caboco
No toco na praça Nagô em chibata

Castanha paçoca moqueca d’arraia
Na praia domingo do bicho da missa
Do Rasta do “reggae” do Bimba cabaça
D’Angola no golpe da perna que voa

Da broa cocada sacada sobrado
Do Carmo d’oiteiro ladeira calçada
Velada rezada benzida pipoca
Da prosa da tarde preguiça manhosa

Da Rosa mulata cabrocha mucama
Na cama do fundo na mesa da dama
Da chama da lua Baía do Santo
Do canto d’encanto sorriso da gente

Doente na fome na sede de festa
Modesta tal vida já vista demente
Carente pulando na rua do largo
Vadio molambo que ginga contente

No frio na chuva no sol e no morro
Penoso moreno cafuzi garboso
Pomposo famoso na arte batuque
No truque no jogo na pinga saúde

Padrinho sobrinho vizinho cunhado
Na farra dos trios ao meio da praça
Ressaca da cana talvez ameaça
Mas vida se passa na graça beleza
Deus queira que seja amanhã feriado.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s