Seção nova: Vi por aí…

Às vezes eu clico em "compartilhar" no Google Reader, e fico achando que fiz minha parte em repartir com alguém sobre algo interessante que li. Mas quem disse que "o mundo" se interessa pelos meus feeds compartilhados??? Hahahahaha

Então, seguindo a linha de alguns deles (são tantos e a cabecinha DDA não dá conta de lembrar exatamente onde foi), vou listar algumas coisas interessantes que "vi por aí" e de vez em quando vai sair um post desses. Com comentários, é claro. E podem ser coisas que vi e gostei… ou não. Afinal de contas, aqui, na minha Reuters, quem faz a pauta sou eu, né?

Pra começar, o assunto é esse mesmo: Pauta no jornalismo. Para os leitores não familiarizados com o termo, "pauta" não é somente "o conjunto de cinco linhas e quatro espaços usado para escrever notação musical". É o assunto (ou conjunto de assuntos) escolhido para "aparecer" no jornal (impresso ou exibido em rádio ou TV).  Um post maravilhoso sobre a vida numa empresa jornalística, da Lola (Escreva, Lola, escreva), que joga no ventilador um monte de lixo do sistema.

Eu vivo uma situação levemente diferente, pois fiz Comunicação Social com habilitação em Rádio e TV, e não em Jornalismo. Além de todas as censuras, ainda há a discriminação porque o nosso diploma é de "radialista", o que sugere uma "classe" inferior, que não pensa, não tem opinião e não está apta a escrever como um "jornalista". E isso, morando numa cidade do interior, onde em sua maioria, os "jornalistas" (ui!) não têm diploma. E a imprensa do interior ainda é mais limitada, pois não são apenas anunciantes, mas políticos principalmente que ditam as pautas. Os jornais locais são de propriedade de grupos políticos (assim como rádios e TVs). Ah, é um sistema doente.

E o sistema continua com sua doença, mostrando que não é só aqui no Brasil, enm só na área da imprensa. A Geórgia trouxe  sua dor nesse post, sobre a escola do filhinho dela, Daniel. Dá pra pensar que na quarta série a professora dá um veredito dizendo que a criança terá capacidade de um dia fazer faculdade???? E que se a criança for "descartada" nessa hora, não terá mais a chance de lutar por uma educação de 3º grau???

E aqui o povo ainda se contorce em cólicas com a história das cotas para negros, pardos e índios, além das cotas para alunos de escolas públicas nas universidades. Isso tudo significa que que o meu filho, por ser branco (quase transparente) e ter estudado numa escola particular a vida toda [porque a mãe dele se matou como professora nas escolas em que ele estudou, em troca da mensalidade] vai ter 50% menos chance de entrar numa faculdade pública, por conta das tais cotas reservadas para as chamadas minorias. Pelo menos o filho da Geórgia vai ter a chance dele. Enquanto isso, o meu… paga uma faculdade também, né? Já pagou tudo a vida toda… vou me oferecer para dar assessoria em TI para a faculdade, em troca da bolsa dele. 😉

Por conta do meu post sobre a campanha "HOMENS unidos pelo fim da violência contra a MULHER", li muitos outros posts sobre o assunto, começando pelo da Patrícia Daltro, Minhas mais terríveis histórias de horror, que por sua vez foi inspirado no da Lola, Minha mais terrível história de horror. E a Lola contou também o relato da Taia. Nos comentários desses posts, mais um tanto de histórias de horror.

"As minhas histórias de horror não envolvem porrada nem violência sexual, mas uma castração profissional e emocional, que dói da mesma maneira. Mas nós vamos agir. Estamos conseguindo." Foi o que comentei no post da Patrícia. E é o que às vezes fica invisível… "violência" não é somente física. Emocional também conta.

Masss… mudando levemente de assunto, para um assunto infinitamente mais leve, Esse site traz um joguinho interessante, especialmente para os cinéfilos de plantão. [Felipe e Karol, pensei em vocês!] "Qual é o filme?", é a pergunta. Veja a cena e diga! O problema é que ele pede o nome do filme em Inglês (e as nossas traduções são de amargar, né?), mas mesmo sem escrever lá, teste pra ver se você sabe qual é o filme. Eu fiquei super frustrada… cliquei em "random next movie" um monte de vezes, e não reconheci NENHUM!!! Que cinéfila fajuta eu sou!!!

Mas tem mais! No Flash Pops tem joguinhos musicais… De que filme (ou programa de TV) é essa música??? O melhor é que esse é em português! "Na parte inferior da página tem joguinhos de música, bandeiras e outros conhecimentos inúteis!" [Recomendação de Felipe].

E pra terminar, poesia das melhores, de Dinah no Vamos Cirandar: Liberdade para as flores!!! Quando eu leio as poesias dela, fico meio que em estado de graça. As palavras são tão bem arrumadas, tão gostosas de ler, e dizem tanto… Vale a pena!!!

[Falei demais, né? Culpa da enxaqueca, garanto!!!]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s