"Da minha precoce nostalgia"

Maria Sanz Martins (recebido via e-mail)
[Comentários meus entre colchetes]

Quando eu for bem velhinha, espero receber a graça de, num dia de domingo, me sentar na poltrona da [minha] biblioteca e, bebendo um [copo de coca beeeeem gelada] cálice de vinho do Porto, dizer à minha neta: [observe que eu vou dar esses conselhos à minha NETA quando eu estiver com 82 anos. Então, filhotes, nada de adiantar o relógio do tempo e me dar netos por agora.]

– Querida, venha cá. Feche a porta com cuidado sente-se aqui do meu lado. Tenho umas coisas para te contar.
E assim, dizer apontando o indicador para o alto:
– O nome disso não é conselho, isso se chama corroboração! [Ou, para você entender melhor, se chama COMPARTILHAR].

Eu vivi, ensinei, aprendi, caí, levantei e cheguei a algumas conclusões. E agora, do alto dos meus 82 anos, com os ossos frágeis, a pele mole e os cabelos brancos, minha alma é o que me resta saudável e forte. Por isso, vou colocar mais ou menos assim:

É preciso coragem para ser feliz. Seja valente. Siga sempre o seu coração. Para onde ele for, seu sangue, suas veias e seus olhos também irão. E satisfaça seus desejos. Esse é seu direito e obrigação. [Mas não ache que os outros terão que satisfazer seus desejos. Isso nem sempre quase nunca acontecerá. E não adianta brigar, isso não vai mudar.]

Entenda que o tempo é um paciente professor que irá te fazer crescer, mas a escolha entre ser uma grande menina ou uma menina grande, vai depender só de você.

Tenha poucos e bons amigos. [Não se iluda achando que amizades são para sempre. Elas flutuam, vão e vem, e às vezes parece que  a amizade acabou, mas está lá. Outras vezes parece que está lá, mas acabou. Amizade é algo vivo, e como tudo que é vivo, tem valor, precisa de cuidado, e pode morrer.]

Tenha filhos. [E pelamordedeus, mais de um. Um filho único pode sofrer muito de solidão na infância/adolescência, mas sofre muito mais por não ter com quem trocar o plantão quando os pais – idosos ou não, doentes ou não – precisam de cuidados.]

(Dia das Mães, 2007, o último que passei com os dois juntos)

Mães 086

Tenha um jardim. [E fotografe-o. É muito gostoso ver por mais tempo flores que duram um único dia!]

(Íris, do jardim de Dinah, que é um pouco meu, também. )Jardim de Dinah 11-09 019

Aproveite sua casa, mas vá a Fernando de Noronha, Barcelona e à Austrália. [A Boipeba, Porto de Galinhas e a Paris. Ah, vá aonde seu coração mandar. O lugar que foi maravilhoso pra mim pode não ser pra você. Vai que você goste de Sambaituba…]

Cuide bem dos seus dentes. [E não é só escovar todo dia 5x, não. É ir ao dentista mesmo com medinho, e não deixar Iemanjá levar um pedaço dele porque você tem bruxismo.]

Experimente, mude, corte os cabelos. [Sem medo de ser feliz. Acredite, eu já fui loira, já tive os cabelos longos e lisos, curtos e encaracolados, pintei de preto e fiz "luzes de bordel", que, infelizmente não apareceram muito no preto… e não me arrependo de nada. Cabelo é bem de raiz, já dizia um ditado da minha infância!]

Ame para valer, mesmo que ele seja o carteiro. [Ou um colega de cursinho, um corista do seu coral, ou um anjo lindo que caiu do céu. E a cor da pele, dos olhos, do cabelo… nunca deve ser impecílio para suas escolhas.] Não corra o risco de envelhecer dizendo "ah, se eu tivesse feito…". Tenha uma vida rica de vida. Vai que o carteiro ganha na loteria! – tudo é possível, e o futuro, tsc, é imprevisível.

Viva romances de cinema, contos de fada e casos de novela. [Mas cuidado com as novelas mexicanas. São terríveis… e sempre tem uma doença grave no meio, irmãos que não sabem que são irmãos e nomes pavorosos como Rogério-Ricardo-Rodrigo-Rodolfo!].

Faça sexo, mas não sinta vergonha de preferir fazer amor. [Sexo sem amor é só sexo. Mas sexo com amor é bom demais! Lembra da música de Rita Lee, Amor e Sexo? Ah, já tem muito tempo, mas essa música vai sempre ser atual!] E tome sempre conta da sua reputação, ela é um bem inestimável. Porque sim, as pessoas comentam, reparam, e se você der chance, elas inventam também detalhes desnecessários. [Mas quer você cuidando ou não, as pessoas vão falar. Então, nega, nem ligue. Só tenha o compromisso de estar bem com a sua consciência, suas crenças e seus valores.]

(Primeiro por-do-sol de 2009, na Sapetinga)

Ano novo13

Se for se casar, faça por amor. Não faça por segurança, carinho ou status. [E não tenha medo de errar. Quem garante que a gente faz tudo certo na vida? Ah, nem… Case. E se descasar, não tenha medo, case de novo. 😉 ]

A sabedoria convencional recomenda que você se case com alguém parecido com você, mas isso pode ser um saco!
Prefira a recomendação da natureza, que com a justificativa de otimizar os genes da reprodução, sugere que procure alguém diferente de você. [Com equilíbrio, com equilíbrio. Nem muito igual, nem muito diferente.] Mas para ter sucesso nessa questão, acredite no olfato e desconfie da visão. É o seu nariz quem diz a verdade quando o assunto é paixão. [O nariz é sempre mais confiável. O olho não vê as salmonelas, mas o nariz sente o azedo…]

Faça do fogão, do pente, da caneta, do papel e do armário, seus instrumentos de criação. Leia. Pinte, desenhe, escreva. [E não guarde para si suas obras de arte. Divida-as com quem você ama, e com o mundo. A internet está aí pra isso mesmo! – Ainda está, não está? Ou já é algo que ficou muito pra trás?] E, por favor, dance, dance, dance até o fim, senão por você, o faça por mim. [Que nunca soube dançar, só depois dos 40 é que arrisquei umas passeadas na sala de casa com Marido.]

Compreenda seus pais. Eles te amam para além da sua imaginação, sempre fizeram o melhor que puderam, e sempre o farão. [Mesmo quando você não enxerga, eles amam você. E às vezes é tãaaaaao difícil entender esse amor… Mas cada um tem o seu jeito próprio de amar e de se defender…]

Cultive os bons amigos. Eles são a natureza ao nosso favor e uma das formas mais raras de amor. [É aquilo que eu disse antes: CULTIVE. Porque se deixar a plantinha sem água e sem terra boa, ela morre…]

Não cultive as mágoas – porque se tem uma coisa que eu aprendi nessa vida é que um único pontinho preto num oceano branco deixa tudo cinza. [Pra essas, vá na linha de "água zero". Não paga a pena.]

Era isso minha querida. Agora é a sua vez. Por favor, encha mais uma vez minha taça [meu copo] e me conte: como vai você?"

(Copo em forma de latinha de coca, que comprei na última ida ao xops)

03-11-09 014

 

 

PS – Estou com a pressão baixa, passei o dia todo na cama (escrevi no note e vim aqui só publicar), e estou voltando pra lá.

Vou colocar as fotos de Mel no post anterior.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s