Diário de Viagem – 12 Ou Punta, a furada!

Ontem o navio ancorou em Punta del Este, na verdade, em alto mar na costa de Punta. O desembarque foi feito com lanchas, algo que faria ser ainda mais interessante pra mim e pro filhote… se estivesse fazendo sol.  Felizmente consegui convencer os velhinhos a não desembarcarem, considerando a dificuldade de mobilidade de Mamis.


Na noite anterior entrei no www.climatempo.com.br e vi a previsão para Punta: “Sol o dia inteiro com pancadas de chuva pela manhã e à noite”. Beleza! Nos preparamos com roupa de banho, e rumamos para o Teatro, onde recebemos a senha (nº 1) para a lancha.


 
Demorou um pouco, deu até pra cochilar… até o nosso “diretor de cruzeiro”, Maurício Justiniano, avisar: “CHOVE”.  Como não tínhamos visto ainda a situação do tempo, não desistimos, mas… olha a situação:
    
[E eu me pergunto: Por que ainda olho o www.climatempo.com.br ???]
Mas como pra mim  não tem tempo ruim, e não tenho medo de chuva, resolvi tomar em Punta del Este todos os banhos de chuva que desejei em Ilhéus!
Saímos do porto, e eu tinha uma única intenção de visita: a Casa Pueblo. Preço pedido pelos donos de van e taxi: 50 dólares por pessoa. Inviável. Achei que podíamos pegar um táxi fora do porto e ser mais barato, mas descobri que Punta tem muita semelhança com Ilhéus no que diz respeito ao turismo: Exploração, pouca informação e má vontade dos habitantes locais.
    
    
    

    
“Planeta Extremo”: Ninguém pra um lado, ninguém pro outro! Só nós!


Andamos, andamos MUITO, até encontrar um ponto de táxi, pra descobrir que ele queria os mesmos cem dólares pedidos no porto. #FAIL


Então, como continuava a chover, resolvemos andar mais um pouco (?) e descobrir o que desse… sem correr da chuva e sem nos escondermos dela, passamos por algumas lojinhas de
artesanato, fizemos xixi no Mc Donald’s, e encontramos “La Mano”, no final da Rambla Brava. Acho que andamos uns dez quilômetros. (Favor ninguém ir conferir no Google Maps, eu SEI que andei mais de dez quilômetros!!!)
       
    
    







Danado foi andar tudo de volta! Mas fomos daquele jeito bahiano, devagar, olhando as coisas… quase como as lesmas que encontramos na calçada ou nas plantas…
       

Vimos surfistas na praia, gaivotas e mais chuva.
       

Nosso navio, lá ao fundo

       
Ameaçou estiar… mas só ameaçou. Retornamos pela Rambla Mansa até o porto, como pintos molhados! E agradecendo o fato da câmera ser à prova d’água!
         
         
       
Então, chegamos e saímos de Punta sem comer nem beber nada. Mas gastamos mil pesos uruguaios, ou o relativo a… cem reais!!! (Com artesanato, lembrancinhas e mais uma echarpe pra minha coleção! Ops… e um lápis, Made in Germany!!!)


A viagem de volta foi numa turbulência só, que nem deu pra fotografar nada. Mas viemos conversando com um casal de Maceió e uma galera de Belém… até chegar na cabine para um banho quente e CAMA!
        01-03-2012 077          01-03-2012 083

Uma resposta

  1. Vou ler os posts com calma, já que são muitos, e decid começar pelo fim. Exploração de turista não é exclusividade de Punta nem de Ilhéus. Turista é considerado otário em qualquer lugar do mundo! É um saco e é um absurdo. Ainda bem que existe gente inteligente como vc, que não se deixa levar e acaba encontrando coisas mais legais e baratas pra fazer. Xixi no McDonalds é fundamental!! Uma instituição da humanidade, eu diria.. hehehe. Fiquei apaixonado por aquela mãozona na areia. Muito bom! Bela viagem…
    Bjoca

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s