Diálogo no frio

Estou chata, com tanto frio. Os sites de previsão do tempo na internet disseram que hoje deu 25º aqui em Ilhéus.  Sim, eu poderia estar doente, mas 25º não era, nem aqui nem na China.

Nem sei se na China a essa época do ano está fazendo frio ou calor, mas aqui não tem cara de primavera, não: O frio queimou as folhas dos meus girassóis-únicos-em-cada-vaso [vou ter que plantar outros], inibiu a produção floral das íris e não me deixa mais molhar meu jardim à noite.

Há três dias não boto a cara fora de casa durante o dia, só saí pra ir ao cinema com Marido na quarta e pra dar uma passada na Infoilhéus ontem. Tenho passado os dias encalacrada, na cama ou no sofá, lendo, escrevendo ou editando fotos. Em outra situação, isso não seria nada demais, mas o frio me faz ficar deprê, sem ânimo pra nada, como se estivesse doente, mesmo sem estar.

Eu até poderia acreditar que estava doente, sentindo mais frio que todo mundo, se não fosse um certo telefonema que recebi no meio da tarde, de outra pessoa que sentia o mesmo que eu.

As frases se alternavam nos dois lados da linha, com mínimas variantes:
– Estou chata, abusada, esse frio tá me tirando do sério.
– Já vesti moleton, calcei meia, vesti blusa quente, e o frio não passa!
– Minha casa está no lugar mais frio dessa cidade!
– Não aguento mais esse dia branco [que não tem nada com o de Geraldo Azevedo].
– Não é nem uma questão de chuva, é o FRIO mesmo.
– Você acredita que o
www.climatempo.com.br tá dizendo que está fazendo 25º?
– Preciso comprar um termômetro!

E outras frases similares, que serviram pra provar, das duas, uma: Ou estamos certas e o frio está demais para nossa cidade e essa época do ano ou temos mais em comum uma com a outra do que gostos, idéias e afinidades: genética.

Enfim… toda essa conversa aqui é também pra provar pra Intense que eu MEREÇO ganhar a blusa de frio da Coca-cola que ela vai dar pra uma das amigas secretas!!! Afinal de contas, estou largando o vício de Coca-cola, preciso de algo pra colocar no lugar! 😉

Anúncios

Lady Di versus Lady K.

De antemão informo que não procurei nada no google, estou usando apenas a minha excelente memória pessoal.

Eu me lembro do casamento do Príncipe Charles e Diana. Tem como não lembrar? Quem viveu os anos 80 só poderia ter duas reações diante da cobertura da mídia televisiva sobre o evento: Ou encantamento ou enojamento. Eu, novinha e noivinha, fiquei com o encantamento. (Meu bouquet de casamento foi igual ao de Lady Di! – ABAFA)

Lembro que a data foi escolhida com base na previsão do tempo, a segurança feita de maneira criteriosa, isso sem falar na expectativa de todos os reles mortais assistirem nas ruas de Londres o cortejo real em carruagem aberta.

O corte de cabelo de Diana foi imitado por 9 entre 10 mulheres de cabelo liso, e a cor virou moda. Agora a história “se repete” na hora do casamento do Príncipe William e Lady Kate. “Se repete” é maneira de dizer, pois as diferenças entre as duas é bem grande, a começar pelo fato de que Diana foi “encontrada” pela corte britânica, e Kate foi à luta, pra caçar a raposa o Príncipe.

Diana casou virgem – e isso foi amplamente divulgado e discutido nas mais diversas rodas. Kate… quem quiser que pense o que quiser.

Mas todas as minhas lembranças do casamento de Diana não serão comparadas às que terei do casamento de Will & Kate.  Primeiro, porque há vinte e tantos anos atrás, os canais de notícias eram a TV e as revistas (tipo Caras), onde a gente recebia informações  e via fotos, mas não podia interagir. Hoje, além das “notícias em tempo real”, a internet permite até que EU VÁ AO CASAMENTO REAL!!! 

As redes sociais como o Facebook e o Twitter estão sendo utilizadas para informação e também para diversão. Aproveitando o feriado chuvoso e frio, e a volta da conexão em casa, Marido e eu passamos um bom tempo brincando e dando risada com a criatividade do povo no Facebook.

Captura de tela inteira 21042011 093929.bmpCaptura de tela inteira 21042011 095445.bmpCaptura de tela inteira 21042011 093900.bmpCaptura de tela inteira 21042011 093441.bmpCaptura de tela inteira 21042011 095751.bmpCaptura de tela inteira 21042011 093321.bmp

(Clica que aumenta tudo)

Donde se conclui que minhas lembranças do segundo casamento real serão bem diferentes das do primeiro, e certamente bem mais divertidas!!!

Detalhes tão pequenos…

…que fazem um sábado frio e chuvoso ficar menos chato:

Mudar de estilo e usar pela primeira vez um esmalte fosco, Pedra Granada, da coleção Jóias Místicas, da Risqué. E seguindo a linha da Jady, vão as fotos com e sem flash.

21-08-2010 006 21-08-2010 004

E pro almoço…

21-08-2010 002

…bobó de camarão DE-LI-CI-O-SO, com arroz integral e suco de caju, que eu estou mudando os hábitos alimentares.

E passar o resto da tarde quietinha em casa, com Marido, que eu não sou doida de brincar de tomar vento, frio e chuva. A única chuva boa de se tomar é a chuva de verão, grossa e forte, pra matar o calor e lavar a alma.

Entre a ansiedade e o pânico

Pois é, falta exatamente uma semana para nossa viagem de lua-de-mel, e estamos na maior ansiedade, curtindo a viagem no melhor estilo do velho ditado: “o melhor da festa é esperar por ela”. Passamos horas lendo mil coisas,  (juntos e separados), tentando estar preparados para tudo: o que queremos ver, o que não podemos perder, e como tirar maior proveito da avalanche de informações disponíveis na iternet… mas tem uma coisa que está me deixando inquieta, e até mesmo beirando o pânico.

O FRIO. Sei que escolhemos o melhor período do ano para ir à Europa: a Primavera. Sim, mas o “não está frio” de lá é o “estou congelando” daqui.  Vejam só:

Captura de tela inteira 29042010 160516.bmp

Deus eterno! 15º como temperatura MÁXIMA!!! Alguém aí pode me ajudar e acalmar meu coração? Vale dizer que todo lugar tem aquecimento, que eu vou poder comprar um casaco “decente” lá, e que tudo o mais vai compensar o frio, especialmente estar num lugar que eu SEMPRE desejei estar com a companhia mais doce e gentil que pode haver – e que eu amo e me ama.

Olha só, deve ser a lua, ou a TPM, ou a menopausa, ou a dissertação… mas hoje estou pra lá de Bagdá, precisando de colo, precisando sair de casa (não aguento mais olhar pro computador e o monte de livros de Antropologia Visual ao meu redor)… Vou ali chorar, viu?