Sobre o aborto

Daqueles textos que eu gostaria de ter escrito, e que concordo plenamente, da primeira letra ao ponto final.

Escrito pela Juliana Cunha,  toca no cerne da questão, vejam:

Nunca entendi quem diz que a discussão é religiosa, porque para mim sempre foi moral e, na falta de um termo adequado, científica. Pra mim, existem pessoas que a) não consideram um feto como uma forma de vida e, por tanto, são favoráveis ao aborto; b) pessoas que consideram um feto como uma forma de vida e, por tanto, não são favoráveis ao aborto e uma terceira via totalmente incompreensível para mim, a de c) pessoas que acreditam que um feto seja uma vida e mesmo assim querem a legalização do aborto.

Clique aqui pra ler o restante do texto. E depois de pensar nisso, vamos parar com discussões infrutíferas e discutir algo que realmente importe???

Anúncios

The Day After

Confesso: Fiquei triste, frustrada, decepcionada. Esperava MESMO um milagre, o milagre da conscientização e que o 2º turno das eleições fosse entre Dilma e Marina. Infelizmente não deu, não conseguimos. E não sou tão Pollyanna pra achar que “Marina foi a grande vitoriosa dessas eleições”. Vitoriosa seria se fosse ao 2º turno, não foi, pronto.

Daí a ser forçada a ouvir o oposto, que os votos em Marina “só serviram para levar Serra ao 2º turno” é outro absurdo. Quem votou em Marina votou porque quis, porque queria e cria numa outra opção que não fosse PT ou PSDB. Li durante esses últimos dias uma quantidade imensa de posts que tendiam prum lado ou outro, mas nenhum de eleitores de Marina.

Por que nos calamos? Por que não nos posicionamos? Respondo por mim: Porque nos entristecemos, porque nos frustramos, porque não sabemos o que fazer, já que agora teremos que votar em uma ou em outro, e isso não é o que queremos.

Mas depois de um post que não quero nem linkar pra não dar ibope, me senti no direito (ou no dever, sei lá) de vir aqui e dizer que o resultado das eleições de domingo me jogou literalmente na cama, na segunda. Dormi quase o dia inteiro, sem ânimo pra nada, e as notícias na TV e na net me deixavam ainda mais down.

Não me arrependo de meu voto, me arrependo talvez de não ter feito uma campanha mais explícita, de ter conversado mais sobre o assunto com os que me cercam. Se bem que a maioria dos meus amigos “esverdearam”, até meu filhote que disse que ia votar em Dilma me surpreendeu dizendo que votou em Marina.

Agora, segundo Dinah, Marina precisa de uma capa de chuva, de tanto que vão babar em cima dela, “a grande vencedora”. Sei.  Ela que se cuide, que abra bem os olhos, e que seja coerente e não se junte a nenhum dos dois, se vendendo por cargos ou ministérios.

Recebi logo cedinho na segunda-feira um e-mail do Movimento Marina, perguntando:

Que posição você sugere que Marina tenha no segundo turno?

E respondi com um texto do prof. Maurício Abdalla, “Marina… você se pintou?”, que recebi via e-mail, do qual transcrevo um trecho:

 

Marina, você, cujo coração é vermelho e verde, foi pintada de azul. “Azul tucano”. Deram-lhe o espaço que sua causa nunca teve, que sua luta junto aos seringueiros e contra as elites rurais jamais alcançaria nos grandes meios de comunicação. A Globo nunca esteve ao seu lado. A Veja, a FSP, o Estadão jamais se preocuparam com a ecologia profunda. Eles sempre foram, e ainda são, seus e nossos inimigos viscerais.

Mas a estratégia deu certo. Serra foi para o segundo turno, e a mídia não cansa de propagar a “vitória da Marina”. Não aceite esse presente de grego. Hão de descartá-la assim que você falar qual é exatamente a sua luta e contra quem ela se dirige.

“Marina, você faça tudo, mas faça o favor”: não deixe que a pintem de azul tucano. Sua história não permite isso. E não deixe que seus eleitores se iludam acreditando que você está mais perto de Serra do que de Dilma. Que não pensem que sua luta pode torná-la neutra ou que pensem que para você “tanto faz”. Que os percalços e dificuldades que você teve no Governo Lula não a façam esquecer os 8 anos de FHC e os 500 anos de domínio absoluto da Casagrande no país cuja maioria vive na senzala. Não deixe que pintem “esse rosto que o povo gosta, que gosta e é só dele”.

Dilma, admitamos, não é a candidata de nossos sonhos. Mas Serra o é de nossos mais terríveis pesadelos. Ajude-nos a enfrentá-lo. Você não precisa dos paparicos da elite brasileira e de seus meios de comunicação. “Marina, você já é bonita com o que Deus lhe deu”.

E completei: Se Marina se aliar a Dilma ou a Serra… ela perde todo o meu respeito. Meu e de todos os brasileiros que, ao depositarem sua confiança nela, através dos 20 milhões de votos, dizem: “Não queremos Serra nem Dilma. Queremos Marina. Ainda que não seja pra já, mas ELA é o que queremos”.

E, já que declarei o meu voto no primeiro turno, declaro de novo: Vou anular. Nem ele, nem ela. #prontofalei.

 

_________

Ah, quem pensar diferente tem TODO O DIREITO. Acho que não ofendi ninguém com meu pronunciamento. MAs não vou permitir, nos comentários, ofensas a quem quer que seja. #prontofaleidenovo.

No dia de votar

Logo no início do dia vi o texto que Clô Tavares  (escritora paraibana, altamente recomendada!) escreveu, "Para você que vota" .
Transcrevo aqui um trecho dele, onde a figura usada por ela é perfeita:

Imagine que você vai viajar, vai passar quatro anos fora, e que durante esse tempo você não vai poder decidir sobre questões que são muito importantes para você, como a condução dos seus negócios, a educação dos seus filhos e a saúde da sua família. Então você vai escolher uma pessoa, que deve ser alguém muito decente, muito amigo e absolutamente confiável para resolver todos esses problemas e tomar todas essas decisões enquanto você está fora.

Esse alguém deve ser uma pessoa cujos ideais, crenças e valores sejam semelhantes aos seus. Deve ser uma pessoa que pense como você, cuja alma tenha sintonia com a sua, e que diante de um imprevisto, ou de uma situação fora do comum, faça o que você faria naquela emergência. Se não for assim, se você não tiver essa confiança, você não passa a procuração porque não tem a certeza de que a tal pessoa vai tomar as atitudes corretas quando necessário.

Pois o voto é a mesma coisa. Durante um certo período de tempo, aquela pessoa em quem você votou tem uma procuração passada por você para tomar conta da cidade ou para propor medidas de melhoria de vida que vão atingir diretamente você e sua família.

Semana passada minha mãe, de 81 anos mas que continua votando,  me pediu explicitamente: "procure na internet pra mim os números dos deputados e senadores que votam contra o aborto e a união homossexual." Parece que minha velhinha tem a noção exata de que precisa eleger quem represente os pensamentos dela, sejam eles quais forem.

É claro que "minha confiança irrestrita" NENHUM dos candidatos vai ter, mas eu, consciente que sou, tenho que procurar aquele que mais se aproxime do meu pensamento. E não me prendo a siglas partidárias, não, ainda que Marido insista em dizer que o partido é mais importante que a pessoa.

Assim, vou misturar PV, PT, PSB e PCdoB, e acreditar no milagre de que os eleitos hoje serão mais GENTE do que aqueles que até aqui foram eleito.

*****

Em tempo: Vocês já viram o "Show" de Weslian Roriz??? É de rir pra não chorar. Sério que isso existe???

Blogueiras na praia

Bom, não foi tão "na praia" assim, afinal de contas apesar do sol aparecer, ainda estava um tantinho desanimador entrar na água. Agora, pra sentar à beira-mar e comer acarajé, abará (com pimenta mais do que quente) e caranguejo não rolou desânimo nenhum!

02-10-2010 003

Marido me "dispensou" hoje, e enquanto ele dava um rolé no centro da cidade, eu aproveitava cazamiga que vieram votar.

Olha que delícia:

02-10-2010 004

Tivemos companhia:

02-10-2010 008 c

02-10-2010 018 c

E o céu estava lindo, de um azul que parece pintado:

02-10-2010 017 c

E dá pra deixar de ver o VERDE??? (Só lembrando: #Marina43 #ondaverde)