Flores de jambo

Eu sempre desejei fotografar o chão colorido de rosa com as flores de jambo que caem, mas nunca consegui. Sempre via os jambeiros de longe, e nunca conseguia parar e fazer as fotos.

Hoje passei por vários jambeiros, aqui no campus da UESC, e aproveitei a oportunidade, apesar de não ser com Sua Majestade a Nikon. Fiquei um tantinho frustrada, pois a cor não saía certa, por mais que eu mexesse nas parcas configurações da câmera compacta.

Outro motivo de frustração foi a distância: As árvores geralmente são muito altas e não estava conseguindo mesmo captar o que eu queria.

Enquanto caminhava em direção à biblioteca, passei por um jambeiro adolescente. Com poucas flores no chão, mas as dos galhos estavam numa altura que viabilizava as fotos que eu queria! Êeeee!!!

Vou repartir com vocês:

Não são lindas????

Anúncios

Se uma imagem vale por mil palavras…

Quantas mil teremos aqui???

Realization mode on.

Ou veja aqui, em tamanho maior.

A partir de amanhã, estarei todas as manhãs, dando plantão na Galeria do TMI. Continuo esperando vocês.

Boa noite. E Muito boa sorte.

Feliz aniversário, meu amor!

Não, Namorado, não é você. Hoje, 19 de junho, é aniversário do meu grande amor, amor que existe desde a adolescência, quando eu não fazia idéia do quanto ele iria ser sob medida pros carinhos meus.

Aquele que, como eu, faz samba e amor até bem tarde, por isso tem muito sono de manhã.  Que me ama tanto, e de tanto amar, acha que eu sou bonita. E eu acredito. Aquele que me diz “benvinda no meu coração”.

Aquele que tem um violão e nós vamos cantar. Aquele que,  modéstia à parte, nasceu pra sambar e deixa a menina aqui sambar em paz. E que dança tanta dança que faz a vizinhança toda despertar, pois é preciso cantar e alegrar a cidade. (Se todo mundo sambasse seria mais fácil viver!)

Aquele que quer ficar no meu corpo feito tatuagem e tem um jeito manso que é só seu.

Aquele que vai me velar, chorar, vai me cobrir e me ninar, pois pela sua lei a gente é obrigado a ser feliz.

Aquele que eu vou amar enquanto eu puder cantar, enquanto eu puder sorrir.

 

 

(Escrito durante o dia  19 e só publicado à noite, quase no dia seguinte, por questões alheias à minha vontade.)

Cultura, Turismo e mais um pouco…

Ainda não fiz oficialmente um balanço da primeira semana de aula. E estou precisando, mas não será aqui… Aqui é lugar de comentar o que acontece extra-classe.

Uma das minhas colegas de mestrado veio do Maranhão, e precisava conhecer a cidade onde vai morar nos próximos meses. Pois aproveitei a oportunidade e me ofereci como guia para um tour por minha ilha. Convidei-a para um passeio ontem, com direito a finalizar na praia, com acarajé, abará e casquinho de aratu. É claro que, apaixonada que sou, por Ilhéus, não perdi a chance de fotografar a cidade por novos ângulos, tentando encontrar visões que ainda não tivera.

Começamos pelo Outeiro São Sebastião, onde a cidade começou, e de onde se tem uma linda vista da baía do Pontal e fomos em direção ao norte, tomar um chocolate gelado na fábrica de Chocolate Caseiro (a única coisa com preço possível – R$120,00 o Kg de chocolate só pra estrangeiro mesmo). Fiquei devendo os “altos”, já que de lá fomos para o sul, pra que ela visse as praias e paramos na AABB pro acarajé, abará e casquinho.

As fotos da cidade estão no álbum do picasa,  algumas outras no álbum do  orkut, e outras aqui. Querem saber? Fotografar é a melhor parte do “turismo”.